A Policlínica Municipal de Alhandra, Joaquina Francisca do Nascimento, coordenada por Cleópatra Angélica, realizou nesta segunda-feira (20) palestras educativas dentro da programação do Novembro Azul, que é dedicado aos homens na prevenção ao câncer de próstata. As atividades fazem parte da programação do calendário oficial da Secretaria de Saúde do Município.

O evento foi ministrado pelo urologista Thiago Silva, que falou sobre o câncer de próstata e os meios de prevenção da doença. Os participantes ainda assistiram palestras da psicóloga Eronyce Rayca, nutricionista Marcilio e cirurgiões dentista Mariana Figueiredo e Regina Lucena. A coordenação do evento foi de Cleópatra Angélica e equipe.

Os vereadores Moises Marinho e Claudio Januário também participaram das palestras. Após as atividades, os profissionais realizaram 65 atendimentos.

“Nossa gestão tem um olhar especial para a Saúde. Estamos investindo na melhoria da saúde no nosso município e eu não poderia deixar de dar total apoio às atividades do Novembro Azul porque sabemos da importância de alertar os homens sobre o câncer de próstata. Ainda há um tabu muito grande com relação ao exame, mas estamos concentrando esforço para levar ao homem informações sobre a prevenção e cuidados com a saúde” disse o prefeito Renato Mendes.

Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), o principal motivo da mortalidade com a doença é por conta do preconceito dos homens em fazer o exame do toque retal, fundamental para descobrir a doença. Como esse exame deixa de ser realizado na maioria das vezes, cerca de 20% dos casos é diagnosticado em estágios avançados da doença, o que torna o tratamento mais complicado e aumenta o risco de morte.
O câncer de próstata é o sexto tipo mais comum no mundo e o de maior incidência nos homens. As taxas da manifestação da doença são cerca de seis vezes maiores nos países desenvolvidos.

Homens a partir dos 50 anos devem procurar um posto de saúde para realizar exames de rotina. Os sintomas mais comuns do tumor são a dificuldade de urinar, frequência urinária alterada ou diminuição da força do jato da urina, dentre outros. Quem tem histórico familiar da doença deve avisar o médico, que indicará os exames necessários.