SAÚDE

 

Oferecer uma saúde cada vez mais qualificada, alcançando a excelência nos serviços prestados. Este é o propósito da atual administração alhandrense que, desde o início do mandato do Prefeito Renato Mendes (DEM), não tem medido esforços para ampliar e humanizar os serviços de atendimento, bem como garantir estrutura física moderna, confortável e completa em equipamentos nas unidades de saúde municipais.

Nesta semana, em comemoração ao aniversário de 60 anos da cidade, a Prefeitura de Alhandra iniciou a reforma e ampliação do Hospital Municipal Alfredo de Almeida Ferreira, visando ofertar ambientes mais apropriados e confortáveis e também atender orientações da Agevisa que notificou a Prefeitura nos anos de 2016 e 2017, mas a gestão anterior não realizou as obras necessárias para o bom funcionamento do Hospital. Na atual gestão, todas as indicações da Agevisa serão atendidas no intuito de estruturar o local para a implantação do Centro Cirúrgico de Alhandra.

De acordo com a secretária de Saúde, Albarina Kelly, mesmo com a reforma em andamento, os atendimentos aos munícipes continuam normalmente no local em uma estrutura física menor.

“Pedimos a compreensão da população no tocante ao atendimento que estamos realizando de forma improvisada, nós nos reorganizamos temporariamente para que os serviços do Hospital não sejam completamente paralisados durante a reforma. Essa situação é passageira e estamos seguindo as normativas da Agevisa, adequando o hospital de acordo com as orientações para que em breve possamos prestar o melhor serviço à nossa população alhandrense. Porém, nossas equipes estão de plantão atendendo normalmente, nunca deixamos de atender”, disse Albarina.

A secretária destacou ainda que com a reforma, além de ampliar os serviços oferecidos, também será proporcionado mais qualidade às condições de trabalho dos profissionais da Casa e à permanência do paciente internado no hospital.

Mantido pelo município, o Hospital de Alhandra realiza atendimentos a moradores de toda região e é considerado um dos melhores do Litoral Sul. As obras de reforma na estrutura iniciaram pelos leitos, lavanderia, cozinha, onde já estão sendo executados serviços de substituição total do encanamento de esgoto, colocação de novo revestimento das paredes e do piso; troca da fiação elétrica, forros; nova pintura, entre outros serviços.

A reforma da unidade de saúde permitirá ainda reativação de mais leitos de clínica médica, setor que já está recebendo serviços de reestruturação. Vai garantir também a ampliação do número de pacientes atendidos por mês no hospital, além de ofertar outros leitos na sala de urgência.

O prefeito de Alhandra, Renato Mendes, salienta que o alto investimento na melhoria das estruturas das unidades de saúde vem para atender uma das principais metas da gestão.

“Além de colocar em dia os procedimentos represados, abrir a farmácia popular, reativar o Samu, inaugurar PSFs, qualificar e ampliar o número de atendimentos, vamos deixar um legado para Alhandra com estas obras. As reformas e ampliações dessas unidades vêm para melhorar a vida de milhares de alhandrenses que necessitam da atenção básica da saúde. Em relação as obras do hospital, estamos seguindo as orientações da Agevisa que notificou a gestão passada para realizar as reformas necessárias que nunca foram feitas. Essa responsabilidade foi herdada por nossa gestão e estamos cumprido com o dever de manter as condições necessárias de funcionamento, e assim, buscar a implantação do Centro Cirúrgico”, afirmou.

Saúde como Prioridade na Gestão

A atenção com a qualidade da saúde pública de Alhandra tem passado por diversas transformações desde o início de 2017. O cenário de anos passados era de profunda preocupação. Existiam estruturas sucateadas nas unidades de saúde.

Para transformar estas, e outras dificuldades, a Prefeitura, através da Secretaria de Saúde fez um esforço, zerando a fila de procedimentos, reabrindo PSFs e ampliou serviços e ações na área de saúde. Estas iniciativas contribuíram com a significativa melhora na qualidade dos serviços em saúde. Mas ainda há muito o que fazer e, por isso, o Executivo Municipal segue atento às dificuldades da operacionalização das unidades de saúde.

Na próxima quarta-feira (17), o prefeito de Alhandra e os secretários estarão na rádio Alhandra FM. 87.9 realizando uma prestação de contas à população e divulgando as ações, eventos e serviços que serão realizados, finalizados e apresentados durante a semana de comemoração do aniversário de 60 anos de emancipação do município, completados no próximo dia 24 de abril.

A entrevista será concedida ao apresentador Luiz Cláudio, a partir das 11h, no Programa Linha Direta.

A campanha nacional de vacinação contra a gripe começa nesta quarta-feira (10) e vai até o dia 31 de maio. Em Alhandra, a meta é vacinar 90% do público-alvo, formado por 5.060 pessoas dos chamados grupos prioritários que são:

1.946 crianças (6 meses a menores de 6 anos);

306 gestantes;

50 puérperas (até 45 dias após o parto);

233 trabalhadores da saúde;

361 professores;

1.488 idosos com 60 anos ou mais de idade;

população privada de liberdade e funcionários;

676 portadores doenças crônicas e condições especiais.

O dia “D” de vacinação será no sábado, 4 de maio. E ocorrerá em todas as UBS do município.

A vacina é uma das formas mais eficazes para evitar casos graves e mortes provocadas pela doença. No município de Alhandra, todos os postos estão abastecidos e com equipe de prontidão para receber a população.

A Secretária Albarina Kelly lembra que este ano houve mudanças, a exemplo, em relação as crianças com idade até 6 anos incompletos (5 anos, 11 meses e 29 dias) que também serão vacinadas, conforme orientação do Ministério da Saúde.

Outra mudança é que a campanha será dividida em grupos. Entre 10 e 19 de abril, a vacina será para crianças, gestantes e puérperas. A partir do dia 22, será liberada para os demais grupos prioritários.

 

 

Tendo como tema “Democracia e Saúde: Saúde como Direito, Consolidação e Financiamento do SUS”, aconteceu nesta quarta-feira (3), a 7ª Conferência Municipal de Saúde em Alhandra, no Litoral Sul da Paraíba. O evento foi realizado na escola Zélia Correio do Ó, foi destinado aos profissionais da área de saúde e à população interessada.

A Conferência teve uma palestra sobre o tema do evento, com a mestra em saúde pública, Fabiana Leite. Também foi um espaço para o debate e aprovação de propostas, além da aprovação do regulamento da conferência e escolha dos delegados que irão representar o município na plenária estadual.

Os grupos de trabalho debateram temas como: Saúde como Direito, Consolidação dos Princípios do SUS, Financiamento Adequado e Suficiente para o SUS, a partir daí, foram aprovadas as propostas para serem apresentadas na conferência estadual .

De acordo com a secretária de Saúde,  Albarina Kelly, a participação  da população, dos representantes da sociedade civil e da gestão municipal foi de grande importância para o sucesso de um evento deste porte, ela agradeceu  a toda  equipe de organização, aos conselheiros municipais e aos moradores que estiveram presentes.

Na próxima quarta-feira (03), na escola Zélia Correia do Ó, das 8h às 16h, acontece a 7ª Conferência Municipal de Saúde. Este ano o tema é Democracia e Saúde - A saúde como direito, consolidação e financiamento do SUS.

A conferência é um espaço para ampliar os conhecimentos sobre as políticas municipais, estaduais e nacionais de saúde e, também, para que a população possa discutir e reivindicar propostas para o município.

O evento contará com a participação de todos os coordenadores, diretores e servidores da Secretaria de Saúde, e também dos usuários da rede pública de saúde, entidades religiosas, sindicatos, demais profissionais da saúde e público em geral.

A secretária de Saúde, Albarina Kelly, explica que a participação da população na conferência é fundamental, pois é um momento de debate sobre o tema. “É importante que a população participe para entender o funcionamento da saúde. Este também é um espaço aberto para reivindicações e sugestões de melhorias nas políticas de saúde pública”, explica.

Profissionais estavam sem prestar atendimento médico desde 19 de janeiro após vereador ameaçar médica 

 

A partir da zero hora desta sexta-feira (15), as unidades básicas de saúde da família (UBSF) Oiteiro 1 e 2, no município de Alhandra, a 45 km de João Pessoa, voltarão a funcionar normalmente. As unidades estavam sem prestar atendimento médico à população, desde o dia 19 de janeiro, após interdição ética do Conselho Regional de Medicina da Paraíba (CRM-PB), por ter constatado em inspeção feita no local, falta de segurança, intimidação e agressão verbal aos profissionais. No dia 17 de janeiro, a médica que prestava atendimento na unidade foi agredida verbalmente pelo vereador Clóvis Constantino, conhecido como 'Cocó, enquanto consultava uma adolescente de 14 anos.

Após a interdição, o CRM-PB solicitou que fosse providenciada segurança policial nos postos de saúde e que houvesse uma retratação da Câmara de Vereadores. Na manhã desta quinta-feira (14), a secretária de Saúde de Alhandra, Alba Kelly, esteve na sede do CRM-PB em João Pessoa para entregar ao presidente do Conselho a documentação necessária para a desinterdição dos postos de saúde que atendem, diariamente, cerca de 40 pessoas.

Além da retratação pública do presidente da Câmara de Vereadores de Alhandra, João Ferreira Filho, a Secretária de Saúde entregou ao presidente do CRM-PB a escala dos médicos que trabalham nos postos de saúde e garantiu que haverá guarda municipal no local continuamente.

O presidente do CRM-PB, Roberto Magliano, agradeceu o empenho da secretária em resolver o impasse e explicou que o Conselho é um órgão que vem contribuindo para o melhoramento do atendimento médico nas unidades de saúde do Estado. “Não estamos aqui apenas para fiscalizar e punir. Queremos ajudar os municípios a terem cuidado com a saúde da população e que ofereçam boas condições de trabalho aos médicos”, disse o presidente após assinar o auto de desinterdição ética.

Retratação da Câmara Municipal que reconheceu o erro e pediu desculpas 

Autorização do CRM para que os médicos voltem a trabalhar nas unidades de saúde