O prefeito Renato Mendes reafirmou que não houve compra e muito menos pagamento em relação ao pregão presencial de ornamentação em plantas e grama, como vem  sendo divulgado de forma mentirosa nos últimos dias. Mesmo tendo sido emitida uma Nota de esclarecimento, o gestor fez questão de ratificar, nesta terça-feira (28), que o cancelamento da compra foi oficializado no dia 22 de abril, antes da decisão judicial que determinou o cancelamento do processo licitatório.

“De uma forma triste e desumana estão tentando me atacar, fazendo até denúncias no Ministério Público, em relação a esse assunto. Em nenhum momento foi adquirido meio milhão de plantas e mudas. Diante dessa pandemia, tudo naturalmente mudou e parou e com isso eu pedi para suspender os processos de licitações. Então esse processo já tinha sido cancelado, portanto, torna sem efeito a decisão judicial que determinou o cancelamento do processo. Foi revogada a licitação, não vejo motivo para tanto alarde, eu não comprei ou paguei nenhum centavo”, explica o prefeito.

Segundo Renato, todo início de ano é feito o cronograma das ações e obras estruturantes que seriam executadas pela prefeitura na cidade, dentre elas existia sim a aquisição de material vegetal para revitalizar ruas e espaços esportivos. Porém essa licitação foi cancelada logo que se deu início a propagação da Covid-19 pela Paraíba. “Traçamos o planejamento de obras estruturantes e importantes que iriamos executar no decorrer do ano. A intenção era colocar um gramado novo no estádio de futebol Pedrosão, como fiz no distrito de Mata Redonda, também construir dois campos de futebol society  e uma obra de revitalização no centro da cidade. E no início do ano, antes mesmo da pandemia, eu autorizei a comissão de licitação fazer pregões para todas as obras que iriamos fazer e foi publicado esse edital junto com os demais. Licitação não quer dizer comprar, mas sim a liberação de crédito, que pode ser usado durante todo o ano”, enfatiza.

O prefeito ressalta ainda que quando chegou a solicitação do Ministério Público para revogar a licitação neste dia 27 de abril, a mesma já havia sido cancelada. “Acho que nenhum prefeito em sã consciência ia gastar quase meio milhão em um momento como esse. Esse não é momento de politicagem é tempo de cuidar do povo. É momento de dar as mãos e cuidarmos da saúde do povo de Alhandra, para que a gente continue sem nenhum caso de Coronavírus na nossa cidade”, finalizou.

As informações foram prestadas na Arapuan FM